Home / Notícias Famosos / O último adeus a Nicolau Breyner

O último adeus a Nicolau Breyner

A opinião é unânime: Nicolau Breyner marcou o teatro, o cinema e a televisão em Portugal. Como tal, foi com emoção, algumas lágrimas, mas também muitos aplausos – os mesmos que o alimentaram enquanto artista – que familiares, amigos, colegas de profissão e admiradores do seu trabalho lhe prestaram hoje, 16 de Março, uma última homenagem.

Nicolau Breyner

Nicolau Breyner

Depois de uma missa de corpo presente às 15h00 na Basílica da Estrela, o cortejo fúnebre seguiu para o cemitério do Alto de São João, onde, tal como queria, o actor será cremado.
Nicolau Breyner morreu na passada segunda-feira, 14 de Março, vítima de ataque cardíaco. Foram 75 anos de vida, 50 dos quais dedicados à representação.

Serpa vai atribuir nome do actor a cineteatro municipal Câmara de Serpa, no Alentejo, a terra natal de Nicolau Breyner, que faleceu na segunda-feira, anunciou esta terça-feira que vai atribuir o nome do actor ao cineteatro da cidade, após as obras de requalificação do edifício. Nicolau Breyner, “embaixador de Serpa e do Alentejo, homem de artes e da cultura”, “permanecerá ligado” à cidade, “relação que a câmara municipal pretende enaltecer, propondo atribuir o seu nome ao cineteatro municipal, após obras de requalificação”, refere a autarquia, num comunicado enviado terça-feira à agência Lusa. Na segunda-feira, em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Serpa, Tomé Pires, disse ter recebido com “choque” e “grande sentimento de perda” a notícia da morte de Nicolau Breyner, natural do concelho alentejano e do qual “nunca se desligou”.

“É com grande sentimento de perda que damos conta desta notícia. Acaba por ser sempre um choque e, logicamente, que o concelho de Serpa”, tal como “o Alentejo e o país, fica sempre um pouco mais pobre”, afirmou o autarca. Segundo Tomé Pires (CDU), apesar de Nicolau Breyner se ter dedicado, enquanto, actor, realizador e produtor, a “uma actividade profissional que exige muito das pessoas”, não perdeu os laços à sua terra natal. “Ele, ainda assim, nunca se desligou da sua terra natal, do seu concelho, das suas gentes e isso é de facto de louvar”, elogiou, referindo que Nicolau Breyner, “sempre que possível, estava por Serpa” e, “muitas vezes”, colaborou com a câmara, “em muitas situações” e “em muitos projectos conjuntos”. “Logicamente que é um sentimento de perda que temos aqui no nosso concelho, em primeiro lugar pela pessoa e, depois, por todo o seu trabalho”, acrescentou o presidente do município.

Apesar do tempo passado em Lisboa, Nicolau Breyner nunca esqueceu o Alentejo e cumpriu funções políticas na região. Nos anos 1990, candidatou-se à Câmara de Serpa, pelo CDS-PP, e assumiu funções como vereador.

Fonte: Caras/CM

Comentários

Comentários

Deixe um Cometário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*